A gestão de uma empresa é um processo dinâmico e contínuo. A todo instante, novas soluções e desafios se impõem aos gestores e encontrar um modo eficiente de inovar é uma das principais demandas de quem está a cargo de conduzir o barco. Por isso, neste artigo, optamos por discutir um tema central: incorporar a inovação corporativa à cultura organizacional.

Talvez, em uma leitura superficial, esses dois temas possam parecer muito distintos entre si

Entretanto, acrescentar à cultura corporativa o espírito de inovação traz benefícios que podem mudar completamente os resultados de um negócio. Afinal de contas, essa noção está baseada na ideia de que a inovação não está separada das atividades rotineiras da empresa. Pelo contrário, é a partir da análise dos processos do dia a dia que nascem as melhores ideias disruptivas.

 

O que é cultura corporativa?

Para alguns, cultura corporativa é um termo rebuscado e que faz sentido apenas para grandes empresas do mercado. Mas a verdade é que toda organização possui uma cultura, independentemente do tamanho, do ramo ou da estrutura.

A cultura corporativa é o conjunto de posturas e expectativas que funcionários desempenham, principalmente, dentro do ambiente de trabalho. Quais são os objetivos, os comportamentos e os valores da sua empresa que a diferenciam das demais? Nesse ponto, ter a inovação como ponto prioritário pode ser crucial.

 

 

Como fazer da inovação uma rotina?

O primeiro passo para incorporar a inovação na cultura corporativa passa por uma identificação e avaliação da cultura da empresa. Ou seja, é preciso observar a forma como os processos e posturas são conduzidos atualmente e orientá-los em um objetivo comum. Todos precisam ter claro quais são suas metas e que expectativas estão sob eles.

É fundamental que esse momento inicial aconteça antes de avançar. Isso porque a avaliação de toda a equipe e das diretrizes estratégicas da empresa é um instante inicial de mobilização dos funcionários e, sobretudo, ajudará a evitar futuros desperdícios de recursos, tempo e esforços.

 

Todos pela inovação

Inclusive, essa ação conjunta é outro aspecto essencial para tirar a inovação do papel. É importante que, desde o início, todos os funcionários, de todos os níveis, sintam-se imprescindíveis nas mudanças da cultura corporativa. Com todos cientes dos objetivos e diretrizes gerais, a orientação para repensar os processos deve envolver o máximo de pessoas possíveis.

A principal fonte de inovação em uma empresa é o aprimoramento de práticas já existentes. Olhar para a rotina, perceber gaps e pensar soluções. Por isso, aqueles e aquelas que trabalham diariamente nos mais diferentes setores são os maiores criativos potenciais justamente porque conhecem profundamente os aspectos do negócio com os quais lidam no dia a dia.

Esse engajamento deve ser feito de forma ativa e verdadeiramente deliberativa. Em outras palavras, não adianta chamar os funcionários a contribuir e, ao final, não acolher e dar feedbacks sobre os comentários feitos. Esse é um dos principais pontos de desmotivação. Vale destacar que fazer a devolutiva não é sinônimo de colocar em prática todas as sugestões, mas estabelecer um diálogo, sempre pautado pelos objetivos estabelecidos no princípio do processo.

 

Inovação e TI

Geralmente, um dos setores mais ligados à noção inovação é a Tecnologia da Informação (TI). E isso não acontece por acaso. A velocidade da criação de novas soluções de hardware e software é impressionante. Por isso, estar atento aos processos que podem ser otimizados pela TI deve ser prioridade.

Nesse ponto, em muitos casos, diversas informações primárias podem ser adquiridas em um processo interno de alinhamento. Entretanto, a parceria com especialistas e consultores capacitados é o melhor caminho tanto para identificar muitos problemas que nem eram percebidos quanto para dar encaminhamento às soluções mais adequadas.

Entretanto, estamos falando de cultura corporativa, ou seja, uma ideia muito diferente de consultorias pontuais. Do ponto de vista de TI, é possível desenvolver uma Política Interna de Tecnologia da Informação, para sistematizar os diagnósticos, análises e monitoramentos em busca de inovações constantes. Inclusive, em muitos casos, essa inovação também pode envolver a transformação digital da sua empresa.

Com os parceiros corretos é totalmente viável manter a empresa sempre atualizada no que há de mais eficiente no mercado da tecnologia, adequando à necessidade da empresa.

 

Simplificando as coisas

Todo processo de inovação é guiado por uma pergunta: “como posso transformar determinado processo para tornar a vida dessas pessoas mais simples?”. Ao final, trata-se da procura por eliminar perdas indesejáveis e permitir que as pessoas possam se dedicar mais ao que é prioritário.

No caso da inovação na cultura corporativa, essa proposta deve ser adaptada à realidade da empresa e desempenhada por todos os funcionários. Como é possível tornar uma tarefa mais simples? O que está dificultando que cheguemos ao nosso objetivo? Qual mudança podemos realizar para termos melhores resultados?

 

Monitoramento

Mas nada disso faz sentido fora de um planejamento de curto, médio e longo prazos. A cultura corporativa não é uma ordem imposta de cima para baixo, de forma eventual e episódica. Na verdade, precisa ser constantemente estimulada, reforçada e revisada para que se incorpore nos hábitos dos funcionários.

Faz parte do processo visualizar a demanda apresentada por si ou por um colega sendo implementada. O reconhecimento é fundamental, para além do monitoramento das inovações concretizadas em conjunto com o compartilhamento dos resultados da mudança.

Ficou curioso para saber como esse princípio da inovação corporativa na cultura organizacional pode fazer parte da sua empresa desde já? Entre em contato conosco para ter mais detalhes.

Autor

Saulo Costa
Saulo Costa
Possui 9 anos de experiência em telecomunicações e infraestrutura de TI. Atua na elaboração de projetos para organizações governamentais e privadas. Possui as certificações profissionais CCNA R&S + Avaya ACSS + MCP + ITIL.